Tela de Vera Sabino que compõe  o painel inspirado nas paisagens da Costa da Lagoa e no cotidiano do povo ilhéu

 


Coordenadora: Marilúcia Mendes Ramos


Casa e Ritual: um estudo sobre os papéis de gênero na construção da sociabilidade Kaingang
Angela Célia Sacchi
sacchi@cfh.ufsc.br

   Este artigo tem por objetivo discutir aspectos das dicotomias de gênero produzidas nos contextos ritual e doméstico entre os Kaingang. Nesta discussão, inserimos os dados históricos e etnográficos Kaingang no contexto das teorias antropológicas sobre o dualismo nas sociedades Jê. A comparação entre as formas da organização social representadas na Casa e no Ritual permitem o estabelecimento de oposições conceituais e sociológicas, as quais definem de forma assimétrica a participação de homens e mulheres na configuração dos padrões de sociabilidade Kaingang.

Gênero e Música no Campo da Etnologia Amazônica: um estudo sobre os Wauja do Alto Xingu
Maria Ignez Cruz Mello
mig@cfh.ufsc.br

   Pretendo apresentar uma revisão da problemática dos estudos de gênero na Etnologia das Terras Baixas da América do Sul, e uma interpretação do sistema musical e narrativas míticas dos índios Wauja do alto Xingu, envolvendo a música do ritual Iamurikuma (no qual as mulheres representam a tomada de poder na aldeia) e a música das flautas Kawoká (ritual exclusivamente masculino, de absoluta interdição às mulheres). A partir da totalidade dos dados que obtive em campo, surgiram várias homologias musicais entre este dois repertórios, evidenciando-se uma conexão até então insuspeita. A meu ver, estes dois rituais musicais, de uma lado as flautas Kawoká - símbolo extremo e exclusivo da masculinidade - e de outro o Iamurikumã - expressão estética mais marcante do mundo feminino - se fundem para compor um único complexo simbólico que engloba temáticas como a estética e a política, as relações de gênero, o poder e o controle, a violência simbólica, o medo, o erotismo e a morte.

As Representações de Gênero e Raça na Constituição da Masculinidade e do Corpo
Regina Marques Parente
rparente@edu.ufrgs.br

   O artigo examina, apoiado no campo dos Estudos Culturais e Estudos Feministas, alguns dos modos pelos quais as representações culturais de raça e gênero constituem a masculinidade dos homens negros que participam de um grupo religioso, afro-católico, denominado de Maçambique de Osório, no município de Osório - RS. Meu objetivo é discutir/problematizar os efeitos que as representações culturais têm na constituição das identidades de raça e gênero, de forma a intervir na criação especifica de um tipo de masculinidade e de corpo. Foi possível perceber que, no grupo Maçambique de Osório, configurar-se homem, negro e heterossexual implica em compreender como as representações culturais produzem identidades e acarretam mudanças, tanto no modo de construir, relacionalmente, a masculinidade, quanto na produção de um corpo educado, no contexto de um ritual religioso, racializado, generificado e sexualizado.

A Mulher Angolana na Literatura: bem mais que uma personagem
Marilúcia Mendes Ramos
marilucia_ramos@uol.com.br


   Adentramos o ano 2000 com a certeza de estarmos vivendo e convivendo num mundo em que as distâncias estão cada vez mais encurtadas. Entretanto, percebe-se que é preciso bem mais que as ligeiras informações que nos chegam para conhecer e respeitar o Outro. Para esse aprendizado sobre a alteridade, urge saber desse Outro seus traços culturais, seus hábitos, sua história, suas tradições, enfim, a identidade cultural que o particulariza como um povo. Com as recentes independências das colônias portuguesas em África e no Timor - Leste, os ex-colonizados passam de objeto a sujeitos de sua história, ganhando voz para dar a conhecer a sua versão da dominação, mas principalmente para se dar a conhecer como ser cultural. A literatura constitui-se em importante instrumento para o encurtamento das distâncias que nos separam desses povos; seus autores revelam um cotidiano de práticas tradicionais em que homens, mulheres e crianças exercem papéis sociais, ganhando espaço central a mulher, personagem de fundamental importância nessas sociedades, como procuraremos demonstrar.



Esta página foi desenvolvida por Rita Maria Xavier Machado e Anacris de Oliveira