Tela de Vera Sabino que compõe  o painel inspirado nas paisagens da Costa da Lagoa e no cotidiano do povo ilhéu

 


Coordenador: Oscar Calavia Sez
oscar@cfh.ufsc.br

O Episódio da Decoração do Natal "da Virada do Século" - Dicotmias superadas pelos atos sociais?
Claudia Mesquita
mesquita@cfh.ufsc.br

Este trabalho constitui um estudo de caso onde certas estratégias discursivas são analisadas e descritas à luz de uma perspectiva social de análise do discurso que contempla a ação social situada. Os conceitos como "ideologia", "identidade", "gênero", e "face(work)" permitem a identificação, caracterização e discussão daquelas estratégias discursivas. A análise sugere que: 1) as identidades de gênero são dinamicamente construídas e re-construídas no contexto mesmo da interação social, e 2) essa (re/)construção é articulada à dinâmica entre exercício de poder e resistência. Finalmente, questiona-se em que medida se pode falar em superação de dicotomias do tipo superioridade masculina/inferioridade feminina e público/privado no discurso acadêmico sobre o tema quando tais dicotomias parecem ainda estar presentes na cognição social, pelo menos no Brasil.

.

Estudos de Linguagem e Gênero em Análise Crítica do Discurso
Viviane Maria Heberle

heberle@cce.ufsc.br

A análise crítica do discurso (ACD) constitui uma área multidisciplinar de estudos da linguagem que investiga as relações entre os elementos lexicogramaticais e questões sociais diversas. Sob a perspectiva da ACD, o discurso é visto como prática social, isto é, contribui para reforçar a estrutura social vigente mas também para transformá-la. Neste trabalho apresento algumas das pesquisas voltadas a questões de gênero dentro da ACD. Discuto os principais tipos textuais (gêneros) já investigados tanto no Brasil, principalmente na UFSC, quanto no exterior. O trabalho visa oferecer subsídios para uma conscientização sobre a relevância de gênero para a produção e interpretação de textos.

Loucas pela vida: experiências de mulheres tidas como loucas (Rio Grande do Sul, 1884 - 1940)
Yonissa Marmitt Wadi

jarstadu@carpa.ciagri.usp.br

A comunicação tem como objetivo apresentar minha pesquisa de Doutorado que intenta historicizar experiências vividas por mulheres tidas como loucas no Rio Grande do Sul, entre as décadas de 1880 e 1940. Formadas na limiaridade de posições subjetivas contraditórias e vivendo múltiplas temporalidades, muitas mulheres enredaram-se em teias discursivas ou foram marcadas por acontecimentos diversos, que as transformaram em sujeitos da loucura. O encontro dos diferentes sujeitos mulheres com o saber psiquiátrico - e seus "loucos" híbridos e bipartidos por referências de gênero - deu-se como momento de construção de novos sujeitos. Foram momentos de luta, nos quais estabeleceram-se relações de poder desiguais que envolveram dominação. Muitas destas relações porém, desestabilizaram-se ou romperam-se pela resistência ou por linhas de fuga, que foram as vezes suicidarias, as vezes criativas...

O gênero do diabo: simbolismo de gênero e catolicismo
Oscar Calavia Sáez

oscar@cfh.ufsc.br

A figura do diabo- mulher - ou de um modo mais geral a atribuição de papéis de gênero ao diabo - é um fenômeno muito mais circunscrito do que se tende a acreditar a partir de percepção romântica da história do cristianismo. Para entendê- la melhor é preciso tomar em consideração as outras figuras femininas do panteão e o processo relativamente recente de humanização do imaginário sagrado. Esta comunicação procura este contexto no caso do catolicismo "popular" ibérico e de suas extensões americanas
.




Esta página foi desenvolvida por Rita Maria Xavier Machado e Anacris de Oliveira