Tela de Vera Sabino que compõe  o painel inspirado nas paisagens da Costa da Lagoa e no cotidiano do povo ilhéu

 


Coordenadora: Neuza Maria de Fátima Guareschi

Psicanálise, Constituição do Sujeito e Construção da Identidade
Mara Coelho de Souza Lago

mlago@cfh.ufsc.br

O trabalho de campo, deparando inevitavelmente o pesquisador com as questões de gênero, leva-o a refletir sobre as diferenciações sexuais como marcadoras, ou não, das oposições de gênero e sobre as assimetrias de poder em que se constituem as relações, nos planos macro e micro social. Categorias como sujeito e identidade são fundamentais para as análises das sociedades contemporâneas. Nesta linha de pesquisa, os processos de constituição do sujeito psíquico e de construção de identidades (que são também identidades de gênero), têm sido abordados através da teoria psicanalítica (na versão estruturalista freudo-lacaniana), com enfoque na superação da dicotomia indivíduo/sociedade perpetrada pelas ciências humanas e inauguradora da própria fragmentação dos saberes disciplinares, em psicológicos e sociais.

O sujeito sociológico e a crítica feminista
Siomara Aparecida Marques
Orientadora: Maria Ignez Paulilo

siomara@cfh.ufsc.br

O objetivo deste paper é fazer uma reflexão sistemática sobre algumas concepções do sujeito moderno na sociologia e a crítica feminista a estas concepções. Para o Iluminismo, o sujeito estava baseado numa concepção de identidade do indivíduo totalmente centrada, unificada, racional. O sujeito sociológico rompe com essa concepção e apresenta um sujeito que se faz na "interação" com os outros. Entre os críticos à concepção de sujeito moderno, está o feminismo. Este teve uma relação mais direta com o descentramento do sujeito cartesiano e sociológico. Questionou a clássica distinção entre o "dentro" e o "fora", o "privado" e o "público", demonstrando como somos formados e produzidos como sujeito

Sujeito, Subjetividade e Emoções.
Susana Inês Molon

smolon@cfh.ufsc.br

Este trabalho apresenta as concepções de sujeito, subjetividade, intersubjetividade e emoções presentes nos pesquisadores de programas de Pós-graduação em Psicologia Social vinculados à ABRAPSO (Associação Brasileira de Psicologia Social) que elegem a temática de gênero como foco central de suas reflexões teóricas e de suas pesquisas empíricas. A análise das diversas concepções de subjetividade, intersubjetividade e emoções, bem como dos vários modos de considerá-las e efetivamente tratá-las, contribui para a busca das sutilezas e das particularidades implicadas nas diferentes noções de sujeito apresentadas pelos docentes que têm produções científicas na área de gênero, inclusive a produção de teorias e de discursos que definem esse campo de conhecimento.

 

As Políticas de Identidade e o Estudo Sobre as Relações de Gênero, Raça, Sexo e Classe Social
Neuza Maria de Fátima Guareschi

nmguares@pucrs.br

O tema das políticas de identidade vem sendo cada vez mais discutido dentro dos trabalhos das teorias feministas e dos novos movimentos sociais, dentro das teorias sociais e culturais críticas. Este trabalho pretende analisar as origens históricas e teóricas desse conceito, mostrando sua importância na construção das relações de gênero, raça, classe e orientação sexual. Busca também mostrar como estudos relacionados com as teorias feministas têm se preocupado em desenvolver trabalhos sobre políticas de identidade de tal forma que os fundamentos teóricos e práticos desse conceito possam ser criticamente embasados dentro do paradigma do neo-marxismo em conexão com alguns pressupostos trazidos pelo pós-estruturalismo. Finalmente, apresenta a contribuição que o tema das políticas de identidade para os estudos sobre as relações de gênero, sexualidade, raça e classe social.
Palavras Chaves: Politica de Identidade, Feminismo, Gênero Raça, Sexo e Classe Social.




Esta página foi desenvolvida por Rita Maria Xavier Machado e Anacris de Oliveira