Tela de Vera Sabino que compõe  o painel inspirado nas paisagens da Costa da Lagoa e no cotidiano do povo ilhéu

 


Coordenadora: Maria Regina Azevedo Lisbôa
mrlisboa@cfh.ufsc.br

.

Da Representação Teatral a Representação de Si: um estudo antropológico de masculinidades
Flávio Luiz Tarnovski

flavio@cfh.ufsc.br

O trabalho do qual este resumo é parte foi originalmente apresentado como Trabalho de Conclusão de Curso no curso de ciências sociais da Universidade Regional de Blumenau, tendo como orientadora a profa. Terezinha Bublitz. Embora os dados de campo se mantenham inalterados, são agora revistos através das teorias discutidas no Curso de Gênero do PPGAS. A pesquisa foi realizada com objetivo de analisar as representações de masculinidade em homens de teatro (atores) vinculando-as ao contexto denominado como meio-artístico. Partindo dos conceitos de gênero e masculinidades e discutindo aspectos relacionados a expressão da sexualidade através das categorias homoerotismo/heteroerotismo, a pesquisa procurou relacionar a experiência de ator com ressignificações da masculinidade e experiência erótica dos indivíduos pesquisados. Revela que a inserção no meio artístico e freqüentes viagens para festivais permite um contato maior com a alteridade. Além disso, os exercícios de expressão corporal realizados no interior do grupo diminuem a distância entre os corpos, tornando-os mais acessíveis. A pesquisa demonstra como tais experiências influenciam as concepções de gênero e masculinidade.

Patriarcado e Masculinidade na Obra de Nelson Rodrigues
João Batista Soares de Farias Lago

jblago@uol.com.br

Embora caricaturais, os homens da obra de Nelson Rodrigues seriam representantes de um determinado modo urbano e brasileiro de masculinidade. Subjetivado na tradicional família patriarcal e nuclear de classe média, este modo masculino de ser e algumas de suas características centrais, como dissociação psíquica, rigidez, negação e desqualificação da dimensão feminina e do Eros - dentre outros aspectos - serão aqui interpretados do ponto de vista psicológico, num primeiro movimento. Num segundo movimento, algumas reflexões e indagações quanto às possibilidades dos novos modos masculinos de ser, a partir da diluição da família nuclear tradicional.

Construção da Identidade Através da Música: Um Estudo do Fazer Acústico na Ilha de Santa Catarina
Kátia Maheirie

maheirie@cfh.ufsc.br

A música é uma forma de expressão de si e do mundo, objetivando a consciência do tempo e do espaço, representando, criando e transformando um determinado contexto, implicando na objetivação da subjetividade. O presente estudo contemplou a análise de sete bandas de composição própria da Ilha de Sta. Catarina, todas compostas por sujeitos masculinos. As análises apontam para a música como produtora de significados sociais, culturais, singulares e coletivos, capaz de construir identidades. Poderíamos levantar algumas questões, dentre tantas outras, através de tal pesquisa: por que não há a presença de mulheres neste cenário musical? Como se dá a construção do gênero masculino em tais bandas? Como se dá a construção da identidade masculina através da mediação da música?

Continuidades e Rupturas: masculinidades em construção
Vanderlei Machado


Em Desterro, na Segunda metade do século XIX, é possível apreender, na imprensa e na literatura, a divulgação de modelos de masculinidades expressos na forma de um conjunto de discursos que atuaram e imprimiram efeitos de poder e marcas indeléveis sobre os agentes históricos. Nestes discursos veicula-se uma imagem masculina onde exigia-se, dos homens em geral, que fossem possuidores de um capital simbólico que os tornassem reconhecidos como sendo portadores de um nome honrado e de uma boa reputação. Para alcançar tal status, o homem deveria ser, entre outras coisas, identificado como provedor da família e alguém que garantisse o pagamento de suas dívidas. Dos homens que almejavam participar da esfera política através de cargos eletivos, entre os quais, o de representante da Província na Câmara Geral do Império, além dessas exigências faziam-se outras, que durante o período analisado foram sendo acrescidas ou reforçadas, conforme o contexto vivenciado pela sociedade de Desterro e pela Província de Santa Catarina de forma geral.



Esta página foi desenvolvida por Rita Maria Xavier Machado e Anacris de Oliveira