Tela de Vera Sabino que compõe  o painel inspirado nas paisagens da Costa da Lagoa e no cotidiano do povo ilhéu

 


Coordenadora: Marlene Tamanini
marlene@cfh.ufsc.br

Aborto legal Igreja Católica e Congresso Nacional
Myrian Santin

aldana@big.psi.br

Neste trabalho procuramos conhecer e entender os mecanismos utilizados pela Igreja Católica- IC, através da sua hierarquia, seu Magistério e seus movimentos leigos, para influenciar as votações do Congresso Nacional quando se trata de votar projetos que digam respeito à reprodução humana. Nesse caso concreto, descobrimos que, além dos expedientes normais por ela utilizados, como: a ida de membros da CNBB para debates no plenário da Câmara dos deputados, da pressão junto aos parlamentares católicos exercida por bispos e pelas bases eleitorais católicas dos candidatos, do lobby exercido pelos movimentos de defesa da Vida e da Família junto aos gabinetes dos Congressistas e da presença buliçiosa e ameaçadora nas votações das comissões e do Plenário do Congresso Nacional, A Igreja Católica conta com a colaboração de um novo sujeito social, ligado à Pastoral parlamentar: O grupo Parlamentar Católico- CPC. O mesmo foi criado em 1992, formado por deputados e Senadores que se identificam com a Doutrina e os pontos de vista da Igreja Católica.

Organização dos Serviços de Esterilização Cirúrgica na Região Metropolitana de São Paulo
Olinda do Carmo Luiz

ccr@ax.apc.org

Pesquisa na Região Metropolitana de São Paulo (39 municípios com aproximadamente 14 milhões de habitantes), teve como objetivos monitorar o impacto da nova legislação sobre esterilização cirúrgica nos serviços públicos de saúde e obter elementos para o debate público sobre sua aplicação e importância. Os dados revelam que, apesar de haver serviços de excelente qualidade técnica, ainda prevalece uma boa distância entre a lei e os serviços efetivamente oferecidos pelos hospitais públicos. Os obstáculos vão desde a falta de insumos adequados até o clientelismo eleitoral, passando, muitas vezes, por uma arraigada cultura de resistência à normatização da esterilização entre médicos e outros profissionais de saúde.

Dinâmicas de Gênero no Campo Reprodutivo. O Caso do Aborto Voluntário
Martha Célia Ramirez

marthace@obelix.unicamp.br

Para explorar a configuração do campo reprodutivo no âmbito político, conceitual e representacional, tomaram-se como referência questões relativas ao aborto voluntário; observando os repertórios que fundamentam as noções e dinâmicas de gênero operantes em cada um destes âmbitos. No plano político tomaram-se as lutas contemporâneas do movimento de mulheres pela reivindicação dos direitos reprodutivos. No plano conceptual tomaram-se algumas teorias de gênero ditas pós-modernas e, no plano das representações, indagou-se a vivência da experiência de aborto entre oito mulheres e sete homens, com formação universitária. A representação sobre o corpo e suas diferenças sexuais aparece como argumento fundamental no plano das negociações de homens e mulheres, assim como no plano político, observando-se uma feminilização do campo reprodutivo. Enquanto que, no plano conceptual, a reivindicação de especificidades e direitos fundamentados na diferença sexual sustenta a identidade a partir do sexo, reafirmando o dispositivo que produz e regula as relações de poder.

Representações e Práticas sobre Contracepção: as agentes de Pastoral da Saúde escutam a Igreja Católica?
Marlene Tamanini

marlene@cfh.ufsc.br

O artigo apresenta as representações sobre contracepção e, sobre os diferentes métodos, utilizados entre as Agentes de Pastoral da Saúde da Igreja Católica. Discute como se dá a retradução do discurso oficial durante suas práticas, averiguando coincidências e defasagens em relação ao discurso oficial. Trata-se de estudo realizado em duas dioceses: Tubarão e Joinville, pertencentes ao Regional Sul IV da CNBB/SC. A premissa metodológica escolhida, representações sociais, considera o conteúdo da linguagem em sua forma discursiva, e, como esta linguagem é capaz de explicar tanto a realidade físico social, quanto a cultural. Quanto é capaz de articular aspectos cognitivos, culturais e valorativos à uma dimensão histórica transformadora.



Esta página foi desenvolvida por Rita Maria Xavier Machado e Anacris de Oliveira