Tela de Vera Sabino que compõe  o painel inspirado nas paisagens da Costa da Lagoa e no cotidiano do povo ilhéu

 


Coordenadora: Viviane Maria Heberle
heberle@cce.ufsc.br

Questões de Gênero e Polidez no Filme "Melhor é Impossível"
Alyson G. R. Steele G. Weickert

alyson@cce.ufsc.br

Jack Nicholson, interpretando um escritor famoso e Helen Hunt, uma garçonete, são as personagens principais do filme "Melhor é impossível". Neste trabalho, pretendo examinar o questões de gênero e polidez no filme, com fundamentação teórica da análise do discurso, estudos de linguagem e gênero e mais especificamente estratégias de polidez (Brown and Levinson, 1987; Holmes, 1995). Resultados parciais mostram que as estratégias utilizadas por Melvin contrastam muito com sua maneira rude de interagir. e que sua percepção da mulher é estereotipada.

Análise Linguística da Personagem Feminina "Eliza Doolittle" na peça Pygmalion de Bernard Shaw
Barbara Cristina Gallardo


Esse trabalho tem como objetivo discutir a linguagem usada pela personagem Eliza Doolittle na peça Pygmalion de Bernard Shaw, em relação a características de gênero. A gramática sistêmico-funcional de Halliday (1985; 1994), mais especificamente a categoria de transitividade, será utilizada para analisar os aspectos estilísticos apresentados na peça. A transitividade estuda os diferentes tipos de processos (tipos de verbos), o papel dos participantes nesses processos, e as circunstâncias que envolvem uma oração. Este trabalho apresentará exemplos de transitividade que trazem evidências de gênero na peça, contribuindo assim para perpetuar a imagem da mulher como sexo frágil e a do homem como figura forte.

Nas Entrelinhas dos Discursos de Marcianos e de Venusianas
Isabel Maria Barreiros Luclktenberg
isabel@kolnet.com.br
Tatiana Wippel
Orientadora: Viviane Maria Heberle



Estudos sobre gênero e linguagem vêm se tornando freqüentes no meio científico. Pressupomos que gênero (gender) é um processo moldado por construções sociais e por pressões situacionais, que são somente entendidas dentro de um contexto de interação social. Com o objetivo de investigar esta questão, fazemos uma análise das diferenças discursivas e das relações existentes entre homens e mulheres, presentes em um trecho da obra de John Gray "Homens são de Marte, Mulheres são de Vênus". Vemos, ainda, se o autor faz uma descrição do comportamento de homens e de mulheres ou se prescreve uma maneira de conduta para eles. Nosso trabalho tem como fundamentação teórica o modelo tridimensional baseado na Análise Crítica do Discurso proposto por Fairclough (1989, 1992).

A Inclusão da Mulher na Tradução de Textos Bíblicos
Rossana Farias de Felippe

felippe.rf@mailcity.com

Resultante dos movimentos feministas que ocorrem desde o final da década de 60, questões de gênero tornaram-se cada vez mais relacionadas a diversas áreas acadêmicas, entre elas inclui-se a prática da tradução. Assim sendo, minha proposta consiste em apresentar razões históricas e sociais que deram origem a tal união e, conseqüentemente, à teoria de tradução feminista. Através da introdução de conceitos e objetivos básicos em relação à tradução feminista, proponho como exemplo a apresentação de alguns resultados do trabalho de tradutoras que conseguiram incluir o feminino através de uma linguagem não-sexista na tradução de textos bíblicos aprovada pelo National Council of Churches dos Estados Unidos.

Uso do Marcador Discursivo "you know" em Entrevista na Revista Speak Up
Sandra Mara Lentz Schmidt Cordeiro

lensch@bol.com.br
Orientadora: Viviane M. Heberle

As pessoas usam a linguagem com o objetivo de comunicar idéias, emoções ou crenças. Juntamente com esses objetivos existe a necessidade de ocorrer uma interação em eventos sociais, onde a linguagem em uso reflete o discurso entre falantes e ouvintes. O discurso está relacionado com o significado, com a coesão e a coerência. De acordo com Schiffrin (1987), "a análise de marcadores discursivos faz parte de uma análise mais geral de coerência do discurso - como falantes e ouvintes juntos integram formas, significados e ações para fazer sentido no que é dito" (p.49). O foco deste estudo é a análise do marcador discursivo "you know" em entrevistas realizadas com mulheres e homens nativos da língua Inglesa selecionados de exemplares da revista Speak Up. A análise mostrou um pequeno uso deste marcador discursivo, e a freqüência de uso deste marcador foi relativamente o mesmo comparado aos dois gêneros.



Esta página foi desenvolvida por Rita Maria Xavier Machado e Anacris de Oliveira