Tela de Vera Sabino que compõe  o painel inspirado nas paisagens da Costa da Lagoa e no cotidiano do povo ilhéu

 


Coordenador: Ari Josť Sartori
sartori@cfh.ufsc.br

Mulher, Trabalho e Sindicalismo
Edelu Kawahala
edelu@bol.com.br

Desde o século XIX, com sua entrada no mercado de trabalho as mulheres vem se organizando contra a exploração-dominação pelos homens e pelo capitalismo. Embora historicamente tenham sido muitas as lutas das mulheres na vida pública, suas conquistas ainda podem ser consideradas modestas e restritas. Quanto à sua organização enquanto trabalhadoras, embora saiba-se que estas sempre estiveram ao lado de homens nas lutas, somente entre as décadas de 70 e 80, com o chamado Novo Sindicalismo e criação da Central Única dos Trabalhadores- CUT, há uma efetiva aproximação entre feminismo e sindicalismo. Este trabalho tem como objetivo apresentar as conquistas de mulheres trabalhadoras na Central Única dos Trabalhadores - CUT, visibilizadas através da análise dos documentos/políticas oficiais desta Central.

Política Indígena em situação de democracia: questões de gênero
Liliane Brum Ribeiro

liliane@cfh.ufsc.br

Entre as transformações que vem ocorrendo na política indigenista e indígena brasileira nesses últimos anos, caracterizados pelo retorno da democracia no país, encontram-se as inúmeras ONGs, associações, e grupos envolvidos na e com causa indígena. Merece destaque o surgimento de organizações femininas indígenas ou mesmo de ONGs dedicadas em particular à mulher indígena. Isto nos leva a pensar se o fato estaria acarretando uma mudança na organização social dessas sociedades com o respectivo deslocamento da mulher do espaço privado/doméstico para o espaço público/mundo social?
Nesse sentido procurarei olhar para 'dentro' da aldeia e as possíveis mudanças a nível básico nas relações sociais e suas implicações no alargamento do 'espaço feminino'.

As Articulações do Poder das Mulheres nas Executivas dos Diretórios Acadêmicos
Silvio Augusto Lopes Iensen
silvioiensen@uol.com.br

Esse trabalho tem com objetivo verificar a articulação do poder das mulheres que tomam a frente das executivas dos diretórios acadêmicos, ou seja, que estejam ou estiveram na sua presidência.
A intenção é de pesquisar como as mulheres dimensionam o seu poder político nos diretórios acadêmicos e averiguar se existe a disponibilidade das mulheres em manter-se no espaço público político.
Dando apoio a essa questão, faço referencias ao que Michael Foucault diz sobre o poder. Pois para ele o poder está espalhado na rede social, é uma prática e constituído historicamente. Além do autor citado acima, também faço referencias ao enfoque feminista sobre a teoria dos espaços público e privado.

Homens e a Política de "Empoderamento" das Mulheres entre Sindicalistas de Esquerda em Florianópolis
Ari José Sartori
sartori@cfh.ufsc.br

Pesquisa realizada com dirigentes sindicalistas, buscou analisar as relações de gênero em setores de esquerda do movimento sindical de Florianópolis vinculados à CUT: a Central Única dos Trabalhadores de Santa Catarina, (CUT/SC); o Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Energia Elétrica de Florianópolis, (SINERGIA) e a Escola Sul da CUT. Trata-se de entidades que têm discutido, debatido e implementado propostas relativas ao gênero ao que eu denominei nesta pesquisa como sendo as "questões políticas de gênero", ou seja, as discussões como leis sobre o aborto e "união civil", assédio sexual, violência e as políticas de "empoderamento" das mulheres, particularmente, a política de "quotas". Além dessas questões também foram considerados os processos de construção social das diferentes masculinidades. Para tanto foram utilizados recursos da abordagem etnográfica (observação participante e entrevistas), com as quais buscou-se reconstruir as trajetórias (individuais e nos movimentos sociais) desses(as) dirigentes



Esta página foi desenvolvida por Rita Maria Xavier Machado e Anacris de Oliveira