COMUNICAÇÕES LIVRES

 mesas redondas 
comunicações livres 
mostras e exposições 
inscrição 
contato
comissão organizadora 

 

 

Teorias
Coord: Miriam Adelman
Local:Sala de eventos do CCE B
Data: 10/10/2002



Adriano Henrique Nuernberg
- adriano@cfh.ufsc.br
Estudos de gênero e psicologia social brasileira nas décadas de 80 e 90
A psicologia social é um dos campos disciplinares que têm contribuído para o desenvolvimento dos estudos de gênero, trazendo significativas contribuições à análise das diferentes temáticas que caracterizam essa área do saber em ciências humanas e sociais. Buscando mapear como, quando e de que forma a psicologia social brasileira se inscreve nos debates sobre o gênero, esse estudo entrevistou nove pesquisadoras que possuem vínculo institucional com a psicologia e inserção destacada neste campo, verificando aspectos conceituais de sua produção científica. Foi realizada também a análise de textos da área da psicologia que se encontram articulados com os estudos de gênero. A diversidade de abordagens teóricas e de formas de investigação, encontradas no conjunto do material de análise (entrevistas e textos), tem sido bastante evidenciada, juntamente com a crítica à universalidade dos conceitos tradicionais da psicologia.


Alexandre Fernandes Vaz - alexfvaz@uol.com.br
Crítica da racionalidade, sociedade patriarcal e o feminismo na obra de Theodor W. Adorno
Faz parte do núcleo da obra de Theodor W. Adorno a crítica ao entrelaçamento de mito e esclarecimento, iluminismo e barbárie, progresso e regressão, todos imbricados no projeto da modernidade. Essa crítica da racionalidade ocidental contempla uma série de imagens femininas, geralmente vistas como face oculta e obscurecida, natureza dominada, a outra da razão iluminista, patriarcal, masculina. Exemplos marcantes são as figuras femininas do périplo de Ulisses, episódio da Odisséia que seria a expressão exemplar da constituição da racionalidade e das subjetividades modernas, calcadas, essencialmente, no domínio do corpo. Apresentar reflexões sobre o tratamento do feminino por Adorno, bem como aspectos da tradição feminista da Teoria Crítica da Sociedade que lhe sucedeu é o objetivo da presente comunicação.


Inês Hennigen - ihennigen@cpovo.net
Estudos de gênero: perspectivas plurais
Na contemporaneidade podemos observar que uma pluralidade de perspectivas teóricas são utilizadas nos estudos de gênero. É possível alinhar as diferentes iniciativas face ao ponto básico de interesse, mas é instrutivo reconhecer que há considerável dispersão, uma vez que tais estudos adotam "fundamentos" diferenciados. Este trabalho tem como objetivo enfocar as principais teorias feministas que têm contribuído para alicerçar as discussões sobre as relações de gênero, mostrando de que forma(s) cada uma destas perspectivas teóricas se mantêm e/ou busca romper com os postulados da Modernidade. Ao contrário de pretender apontar o melhor caminho teórico, minha discussão está construída no sentido de indicar as possibilidades/limites que cada opção teórica enseja.


Manoel Dionizio Neto - mdneto@terra.com.br
A educação da mulher em Rousseau: as diferenças na igualdade
O que deve ser, parâmetro para o que é, permitiu Rousseau a construção lógica do estado natural, da organização social possível e do programa de educação necessário a esta. Tomando o humano que conhecemos com vistas no que poderia ser, fundamentou sua proposta educacional naquilo que acreditou ser determinação da natureza. Pensando as diferenças entre o homem e a mulher, tendo em vista a igualdade de ambos fundada no desenvolvimento natural de cada um, veio à tona a fundamentação da sua educação. Assim, a da mulher tem em vista a sua igualdade com o homem sem ignorar as diferenças que servem de base para diferentes funções na sociedade, sendo a formação da mulher a primeira condição para a socialização humana.


Miriam Adelman - miriamad@terra.com.br
A teoria feminista e a sociologia dos novos sujeitos
Este trabalho, que forma parte de um projeto de pesquisa sobre a relação entre a teoria feminista e a sociologia contemporânea, examina as contribuições da teoria feminista e as perspectivas pós-coloniais para a desestabilização, ou se preferir, a ampliação do cânone sociológico. Nele, pretendo explorar algumas das principais resistências à incorporação das perspectivas dos "novos sujeitos" à teoria sociológica contemporânea, entendendo que se trata não só de debates teóricos senão de lutas políticas relacionadas com a construção de campos disciplinares e espaços institucionais. Proponho também algumas reflexões sobre o tipo de estratégias a serem desenvolvidas para avançar na construção de uma teoria sociológica mais polifônica.


Manuel de Jesús Sabariego Gómez
Saberes "premodernos" y "cultura posmoderna" en las narraciones sobre la identidad; pretextos, textos y contextos para una nueva ecología social de la identificación
Este trabajo analiza las mudanzas operadas en alguno de los conceptos considerados “clásicos” en la investigación de los procesos de construcción de la cultura como categoría teórica de análisis en el estudio de las reivindicaciones que atañen a lo identitario.