COMUNICAÇÕES LIVRES

 mesas redondas 
comunicações livres 
mostras e exposições 
inscrição 
contato
comissão organizadora 

 

 

Gênero e religiosidade II
Coord: Fátima Weiss de Jesus
Local:Sala 206 - CCE A
Data:10/10/2002



Guilhermina Darc Carneiro do Nascimento -
guilherminadarc@bol.com.br
Mulheres, feminino e o espaço no Movimento Carismático
Essa comunicação, parte da dissertação de mestrado defendida em 2001 em antropologia da religião, trata do espaço ocupado pelas mulheres do movimento de Renovação Carismática Católica em Recife, mais conhecida como carismática, nos templos católicos. Nesse meio procuro destacar as atividades dessas mulheres em ação nos seus grupos de paróquia onde, geralmente, assumem liderança. Incluo aí também aquilo que denomino como uma " política de sacristia" , onde essas mulheres tentam negociar seus espaços de ação com os sacerdotes ordenados, em busca de uma maior autonomia como leigas. Dessa forma é impossível deixar de fora o poder simbólico exercido pelas mesmas que se terminar por ser reconhecido tanto no âmbito religioso quanto no doméstico.


Josilene da Silva - josilene_silva2002@yahoo.com.br
As representações das mulheres através da imprensa luterana IECLB-Igreja Evangélica de Confissão

O objetivo desta comunicação será observar, através da Imprensa Luterana IECLB-Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil- como esta Igreja debateu a situação da mulher na sociedade e na Igreja na década de 70. Foi neste período que as mulheres nesta Igreja conquistaram o direito de serem ordenadas pastoras.


Maria Goreth Santos - gorethsantos@ig.com.br
Tornar-se pastora: o lugar da mulher na hierarquia das igrejas evangélicas
Este pequeno artigo faz parte de um trabalho mais amplo que teve como objetivo compreender o discurso de mulheres que alcançaram o ministério pastoral,identificando as contradições que emergem seja quando tentam justificar o seu direito ao cargo, seja quando descrevem a forma pela qual conciliam trabalho e família no exercício do ministério. Um dos objetivos alcançado, através das entrevistas com 15 pastoras de 11 denominações diferentes, foi perceber as principais motivações que levaram as mulheres a reivindicar o pastorado, e as estratégias utilizadas para que alcançassem o intento. Uma dessas estratégias é a formação teológica necessária para que assuma o pastorado de uma igreja. Quanto maior o nível educacional, maiores as chances de almejarem uma liderança mais efetiva.


Nadia Maria Guariza - nadiaguariza@zipmail.com.br
Arquiconfraria das mães cristãs de Curitiba: espaço de controle e criação feminina
A presente comunicação pretende analisar as dimensões do discurso missionário católico no início do século XX no Brasil, enfocando seu caráter salvacionista, moral e hierárquico no que se referia ao público leigo. Para tanto, apreciaremos o livro “A mulher Bendita”, de 1936, do padre Júlio Maria de Lombaerde, procurando perceber como a figura materna foi revalorizada pelo discurso católico, criando uma possibilidade de controle da família cristã, ao mesmo tempo, um espaço de atuação feminina.


Rafael Camorlinga Alcaraz - rafaelc@cce.ufsc.br
A mulher no novo testamento
Na Igreja Católica debatem-se atualmente temas como o celibato dos padres e a ordenação das mulheres. As perspectivas, porém, não são alvissareiras, sobretudo no que tange ao segundo item. O apóstolo Paulo disse textualmente: estejam caladas as mulheres nas assembléias (1Cor 14-34). Essa imposição, e outras semelhantes, têm norteado ,e ao que tudo indica continuarão norteando, a doutrina católica. Na prática percebem-se poucas mudanças do Novo Testamento em relação ao Antigo. Curiosamente, a doutrina do apóstolo Paulo prevaleceu sobre a de Pedro e a do próprio Jesus Cristo, mais simpáticas em relação ao universo feminino.


Fátima Weiss de Jesus - fweiss@cfh.ufsc.br
"Meninas boazinhas vão para o céu. As más...vão a luta":esboço para a compreensão da teologia feminista como política na escola superior de teologia de São Leopoldo/RS
A presente comunicação visa apresentar a relação entre três aspectos relevantes observados em minha pesquisa de mestrado sobre o pastorado feminino na Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB). Trata-se da aproximação entre a Religião, a Teologia Feminista e a Política (considerada de esquerda) que geram posições marcantes dentro e fora da Escola Superior de Teologia (EST_ de denominação luterana). Cito exemplarmente a frase título desta comunicação estampada em cartazes na EST como parte das manifestações realizadas na semana do Dia Internacional da Mulher/2002 em prol do aumento do número de docentes mulheres na área de teologia. Esta manifestação foi organizada por teolog@s pós-graduand@s pertencentes ao Grupo de Estudos de Gênero, fortemente embasado numa Teologia Feminista.