Apresentação
 
Organização
 
Programação
 
Simpósios e Pôsteres
 
Autores
 



Ada Cristina Guimarães de Sousa
Um estudo qualitativo sobre a construção da identidade feminina em adolescentes da periferia de Brasília
Investigou-se como é a construção da identidade feminina em três adolescentes da periferia de Brasília. Aplicou-se a técnica de grupo focal e o recurso de colagem. Foram realizadas duas entrevistas individuais e semi-estruturadas que foram gravadas em fitas k7. A análise do conteúdo serviu como base para compreensão dos dados.Os resultados apontam que a identidade feminina é influenciada por fatore sociais ao mesmo tempo em que é construída pelas autoras e atrizes que vivem no tempo e na história. As identidades de: gênero,de adolescente e de periferia estão articuladas entre si e em constante metamorfose. Conclui-se que ser adolescente e mulher na periferia é diferente de ser adolescente em outro contexto, no entanto, essa condição não é algo
determinante em suas vidas.

Alcione Navroski
As relações de gênero nas relações de trabalho
Este projeto de pesquisa visa relatar e analisar as questões a cerca das relações de gênero em uma escola de educação profissional voltada ao ramo imobiliário. Este estudo visa investigar as formas de como se dão as relações de gênero numa escola onde o principal foco é vender educação em forma de mercadoria. A escola é composta na grande maioria por mulheres, sendo coordenada por um diretor que durante o estudo investigativo realizado, pode-se perceber que o mesmo referenciava um tratamento diferenciado entre homens e mulheres. Funcionários que faziam um mesmo serviço, porém a forma como a tarefa lhes era solicitadas pelo chefe, eram distintas. Em torno disto, foi possível constar de vários fatores que podem vir a permear a questão do tratamento diferenciado entre homens e mulheres, por um único chefe.

Aline da Silva Palma, Luciane Alves Lucas
Interferência dos preconceitos de gênero na utilização do absorvente interno
Estudo qualitativo, exploratório-descritivo, cujo objetivo foi identificar o conhecimento das adolescentes acerca do absorvente interno. Para tanto, aplicou-se um questionário que abordou os seguintes temas: vantagens, desvantagens, impedimentos e dúvidas sobre o uso do mesmo. As vinte respondentes tinham idades entre 14 e 18 anos, estudavam em escolas particulares da cidade do Rio Grande/R.S. Segui-se os preceitos éticos que regem a pesquisa com seres humanos. Os dados foram tratados pela técnica de análise de conteúdo temática, a qual possibilitou apreender que todas referiram conhecer o absorvente interno, a maioria conheceu por intermédio de sua mãe. Como vantagens referiram maior segurança, liberdade e conforto, exemplificando com a facilidade de usar biquíni, ir a praia e piscina e realizar atividades físicas. No entanto, somente 35% fez uso deste tipo de absorvente. Como impedimentos referiram não saber como usar, medo que cause alguma doença interna e, principalmente, o medo de perder a virgindade pelo uso do absorvente interno. Conclui-se que apesar das vantagens explicitadas, questões de gênero associadas à sexualidade interferem de maneira preconceituosa em tal pratica.
Palavras-chaves: absorventes higiênicos, preconceito, sexualidade.

Allana Antonello Furlan, Cristina Lessa dos Santos
O corpo em evidência: mulheres à venda
Durante três anos de pesquisa a autora fotografou outdoors com imagens de mulheres e seus corpos normatizados. A proliferação dessas imagens tem como conseqüência a reprodução de valores e a consolidação de um modelo de feminino. Essa constatação torna-se mais visível quando é questionado o porque, durante um ano de coleta de materiais não foi encontrada uma fotografia publicitária com mulheres orientais? Logo em uma cidade cuja população é formada por um grande número de descendentes japoneses! E quanto às mulheres negras? Nenhuma imagem! Nenhuma palavra! A autora priorizou dar voz às discussões feministas, compreendendo suas transformações ao longo da história, sua necessidade  de renovação para acompanhar as reivindicações das mulheres e suas lutas por equidade social e conquista de direitos e a chegada do feminismo na academia e seu estatuto teórico.

Amanda Gomes Pereira
Os ardis do gênero nas obras de José de Alencar
Este trabalho tem por objetivo uma reflexão sobre a construção das personagens alencarianas a partir de uma identidade de gênero. Ao me valer dos conceitos de Victor Tuner, liminaridade e estrutura, pretendemos estabelecer um confronto entre as posições que as personagens ocupam nos lugares narrativos, em suas obras. Por ser propor uma análise da sociedade brasileira, os romances de José de Alencar servem como fonte para compreensão das relações de gênero na sociedade brasileira em suas diversas nuanças: seus conflitos e suas construções simbólicas. O amor burguês, para nós, é o ponto de encontro de todas essas relações como ideal que dilui os conflitos e constrói uma nova estrutura familiar.

Ana Carolina da Silva Gomes
Vivências afetivo-sexuais de mulheres portadoras de HIV/AIDS: estudo qualitativo
Por meio da metodologia fenomenológica, visamos compreender como mulheres portadoras de HIV/AIDS vivenciam relacionamentos afetivo-sexuais e sociais. Foram entrevistadas três mulheres atendidas pela Associação Brasiliense de Combate à AIDS – Grupo de Apoio Arco-Íris, com idades entre 30 e 60 anos. Há uma sensível modificação em suas relações afetivo-sexuais, após o diagnóstico para HIV. A revelação do diagnóstico às pessoas de convívio e o enfrentamento do preconceito podem ser vivências muito angustiantes. Assim como, dificuldades em modificar padrões de relacionamentos sexuais, inclusão de preservativos e, convívio com modificações corporais. Podem surgir aspectos positivos, como: novos projetos de vida, maior autonomia nas relações de gênero e busca de apoio para um restabelecimento integral.

Ana Laura Lobato
Identidades contemporâneas: territórios GLS como espaços de construção da identidade homossexual feminina
Nessa pesquisa analisamos como os espaços de sociabilidade GLS contribuem na construção das identidades homossexuais femininas em Belo Horizonte. Utilizando da observação participante e entrevistas em profundidade, mapeamos os espaços GLS de Belo Horizonte freqüentados por mulheres que fazem sexo com mulheres e traçamos comparativamente seus perfis e os diferentes significados atribuídos a cada espaço e por fim analisamos a dinâmica dos fluxos entre esses espaços. A análise parcial aponta para a importância dos bares GLS no reconhecimento entre iguais, na medida em que se apresentam como um circuito diferenciado ao heteronormativo; no compartilhamento de códigos em termos de vestuário,  acessórios, símbolos, gestos e outras linguagens; na iniciação sexual, observando o contato fortuito de aproximação e flerte; e na autonomia de gênero já que estes espaços permitem um trânsito seguro sobretudo para mulheres.

Anacir Gedoz da Silva Cardoso
Mulheres tramando contra violência: a produção do conhecimento na ação simultânea do pensamento com a criação artesanal
A primeira etapa da pesquisa foi realizada com um grupo de nove mulheres, sendo sete de uma ONG de São Leopoldo. Foram realizados dez encontros em que confeccionamos uma peça artesanal sobre a temática, estes foram gravados (em fita K7) e transcritos pela bolsista. Na segunda etapa que iniciou em março os encontros serão realizados uma vez por mês, as participantes do grupo receberam a transcrição das fitas do ano de 2005 e uma cópia fotografada de seu desenho, escreveram sobre a representação produzida e sobre a impressão das transcrições, realizamos a leitura conjunta de cada escrita e análise sem pré-julgamentos, após haverá devolução das transcrições (dos dois encontros anteriores); devolução por parte das participantes da nova escrita com a análise por parte do grupo a fim de produzir um texto final coletivo e a partir dessa produção planejar um novo tema.

Anamaria Marcon Venson
“O Chico chegou!” Representações da menstruação
Analiso as práticas e representações culturais vividas por mulheres no sul catarinense, no referente ao corpo e à experiência da menstruação, percebendo as redes de conversas passadas entre mulheres (história oral), como coisas do privado, acontecimento silenciado, segredado. O sangramento das mulheres é percebido em geral como fato da natureza e este entendimento dificulta a percepção de que as próprias mulheres também produzem discursos sobre seus corpos através da sua experiência de gênero e cultura.
Palavras-chave: menstruação, representação, gênero, memória.

Anay Stela de Oliveira, Salete Farinon Knöner
A construção do conceito de gênero: uma reflexão sob o prisma da Psicologia
Esse ensaio advém de um trabalho de conclusão de curso realizado no primeiro semestre do ano de 2005, onde realizou-se uma pesquisa bibliográfica exploratória de cunho qualitativo. Buscou-se estudar como a psicologia construiu o conceito de gênero, como ela se insere na discussão e como compreende a complexidade da construção da subjetividade entre os gêneros. Percebe-se que trocas sociais produzidas nos últimos trinta ou quarenta anos a respeito de lugares na sociedade ocidental têm provocado verdadeiras rupturas na subjetividade e modificado as relações entre os gêneros. Busca-se subsídios para repensar a representação social do que é ser masculino e feminino. Identificando e compreendendo as diferenças de comportamento entre ambos os gêneros. Concluiu-se que a psicologia está dialogando com outras ciências para a construção do conceito de gênero. Percebeu-se que gênero é um conceito relacional, e na nossa sociedade existem várias formas de ser homem e mulher.

Anderlane F. de Lima, Nathassia Guedes
Maria Firmina dos Reis: representações de gênero e raça no Brasil do final do século XIX
A partir de uma perspectiva pós-colonial, pretendemos nos aproximar da produção literária de Maria Firmina dos Reis, principalmente de seu romance ÚRSULA, como forma de discutir a organização de gênero e raça no contexto brasileiro do final do século XIX. A partir da voz de uma escritora negra que experienciou vários eixos de discriminação (por ser mulher e negra) e da literatura que essa produziu, juntamente com a discussão do contexto social da época, pretendemos discutir como já havia protestos em relação a um sistema que insistia em discriminar setores  da sociedade com base em suas diferenças sexuais, culturais, étnicas, etc. Para fundamentar esse estudo, utilizamos alguns conceitos das teorias pós-coloniais e feministas que nos permitem rever a representação do Brasil do século XIX por novos prismas.

Andréa Maria Montanha
O Sistema de Justiça Criminal Brasileiro e as violências de gênero: um estudo do cumprimento de dispositivos legais a partir da análise dos autos criminais do Fórum da Comarca de Toledo/PR (1954-1979)
O objetivo deste trabalho é a compreensão do funcionamento do Sistema de Justiça Criminal brasileiro, para entender a conduta institucional nos casos de crimes sexuais (como estupro, atentado violento ao pudor, sedução, etc.). Para isso, além de uma revisão teórica e temática sobre os fundamentos do Sistema de Justiça Criminal brasileiro, sobre violência e relações de gênero, procedeu-se a uma análise quantitativa e qualitativa de  inquéritos e processos criminais do Fórum da Comarca de Toledo/PR, do período de 1954-1979, referentes aos crimes sexuais. Na análise da documentação percebeu-se que um desfecho processual é pautado não somente pela ordem burocrática prevista nos códigos, mas também por outras motivações de caráter subjetivo, como os papéis de gênero historicamente construídos.

Angélica de Almeida Ferrarez
As francesas no Rio Antigo
A França oitocentista encarnava o papel de "farol da civilização" e o modelo do progresso. A partir de 1860, com a aceleração da imigração Francesa para o Rio de Janeiro, composta, sobretudo por mulheres, criou-se no imaginário coletivo que a presença destas seria uma forma de repercussão do modelo francês em terra estrangeira. Que erro o nosso. Mulheres simples na França, no Rio recebiam o estigma de meretrizes. Vindo por motivações próprias ou comercializadas, estas francesas foram alvo de preconceitos e mais tarde desamparadas. Neste trabalho procuro mostrar a presença destas mulheres na composição do cenário urbano carioca do século XIX.

Anna Luiza de Vasconcellos Cavalcanti
A subalternidade das personagens mulheres no romance brasileiro contemporâneo
Apesar das conquistas femininas alcançadas em diversos âmbitos, sua representação literária ainda reforça preconceitos e estereótipos. Isto pode ser observado tanto nas profissões quanto nas relações que as mulheres estabelecem dentro do romance brasileiro contemporâneo. Sua subalternidade fica marcada até mesmo pela posição que ocupam na narrativa, muito mais coadjuvantes do que protagonistas e ainda muito pouco narradoras de suas próprias histórias. O número reduzido de escritoras do sexo feminino também parece repercutir na representação dessas personagens femininas. A análise proposta aqui se dará a partir dos dados de uma pesquisa realizada na Universidade de Brasília, sob a coordenação da professora Regina Dalcastagnè, que visa o mapeamento dos personagens dos romances brasileiros contemporâneos.

Anna Maurmann - Rede CEDES-UFRGS/ FAPERGS
Jogos abertos femininos: espaço de visibilidade das mulheres no esporte gaúcho
Os Jogos Abertos Femininos foram realizados na cidade de Porto Alegre entre 1954 a 1963. Nesta competição de caráter estadual eram disputadas várias modalidades envolvendo diferentes Clubes Esportivos. Esta pesquisa busca analisar esses tentando identificar suas repercussões no que tange a visibilidade das mulheres no campo esportivo. Para tanto, toma como fontes primárias reportagens de jornais, os arquivos dos clubes  esportivos de Porto Alegre, museus e centros de documentação. Considerando que o esporte é um território de produção de corpos generificados essa pesquisa aponta para os Jogos Abertos Femininos como um espaço de exercício de sociabilidade para as mulheres bem como para o seu protagonismo em práticas consideradas de domínio masculino.

Ariane Thaise Frello, Marisa da Silva Martins, Telma Elisa Carraro
Cuidando e confortando a parturiente
Existe uma tendência mundial de avanço tecnológico e científico que mostra uma enorme fragilidade no que se refere ao cuidado. Tecnologias avançadas tentam e, por vezes, substituem o cuidado humanizado. Atualmente as mulheres não temem apenas a dor no parto, elas sentem medo de como serão atendidas, já que as experiências estão repletas de atendimento impessoal e distante. Neste estudo, através de uma revisão de literatura, buscamos propor formas, posturas e técnicas de cuidado e conforto à parturiente e sua família, pois acredita-se que a parturiente amparada, orientada e segura terá uma experiência de parto mais tranqüila, facilitando e incentivando tanto o parto normal, quanto o vínculo mãe-bebê e o aleitamento materno.

Baiena Feijolo Souto
Experiências de procriação precoce na Bahia
Este trabalho aprofunda a análise referida ao aumento das experiências de procriação precoce, delineando perfis reprodutivos, exemplos de trajetórias biográficas e características demográficas e socioeconômicas diferenciais das jovens entre 15 a 19 anos que se tornaram mães, em períodos anteriores a 1991 e 2000 na Bahia. Além disso, busca apreender o contexto social onde se inserem essas experiências, a sua diversidade, e as principais mudanças na estrutura social que operaram para a produção do fenômeno e sua percepção enquanto um “problema social”.Serão utilizados nessa análise os micro dados das amostras censitárias de 1991 e 2000, algumas entrevistas semi-estruturadas, além de uma exploração de trabalhos anteriormente publicados por diversos autores.

Bertha Marlene Nettson
Relações de poder e gênero no extremo oeste do Paraná: Um crime passional e seus impactos
Este projeto de pesquisa encontra-se em fase de desenvolvimento e tem como objetivo geral investigar o impacto causado em uma pequena comunidade, as relações de poder e gênero relacionadas a um crime ocorrido no Oeste do Paraná, no final da década de 1960, bem como as versões da população a respeito do fato. A sua viabilidade está nos depoimentos orais, pois os mesmos despertaram uma memória adormecida, mas jamais esquecida, pois lembrar, na maior parte das vezes, não é somente reviver, mas, sobretudo, refazer, reconstruir, repensar com imagens e representações de hoje as experiências vivenciadas no passado. Investigar as relações sociais inerentes aos envolvidos e propor uma aproximação com as versões sobre o tema e seus prováveis antagonismos e similitudes.

Breno Henrique Ferreira Cypriano, Marina Brito Pinheiro
Política de Cotas Femininas: as implicações da sua utilização no Brasil em uma década
Instigado a analisar a sub-representação feminina na política, utilizando dados refe-rentes às quatro últimas eleições para a Câmara dos Deputados (1990, 1994, 1998 e 2002), ressalto o impacto proporcionado pela implementação das cotas para as mulhe-res na política desde 1995. Através do uso de regressões e cruzamento de dados, aponto as imperfeições desta política proposta, já que, mesmo parecendo que cumpriu sua finalidade, os impactos foram irrelevantes para o cenário político nacional.

Bruna Paiva de Lucena
A representação da mulher na literatura de cordel: uma análise das personagens femininas na obra de Patativa do Assaré
O objetivo deste trabalho é discutir as formas de representação e construção das perso-nagens femininas na obra do poeta cearense Patativa do Assaré. Mais especificamente, analisar a relação entre a representação das personagens e as estruturas sociais que a produzem. Para tanto, procurei refletir como o autor trata na sua poesia as represen-tações das personagens femininas e masculinas. Interpretando os dados colhidos em 252 poemas do autor, busco desnudar o discurso moralizador que muitas vezes condena as personagens femininas, seja pela estereotipação de comportamentos, seja pela ausência, seja pela subrepresentação.

Bruna Valéria do Nascimento
A representação da mulher com deficiência física no romance brasileiro contemporâneo
O objetivo deste trabalho é analisar a maneira como a mulher com alguma deficiência física é representada na narrativa brasileira contemporânea. De acordo com os dados da pesquisa sobre as personagens do romance atual, realizada pela professora Regina Dalcastagnè na Universidade de Brasília,  esse segmento é praticamente uma ausência em nossa literatura. Tentar entender o significado dessa não-representação, que implica em exclusão, seria o norte deste trabalho. A partir dos poucos registros encontrados na pesquisa, pretendo observar se há preconceito nessa representação, tanto se comparada aos homens com deficiência física quanto à outras personagens femininas. Serão analisados os papéis sociais que desempenham, as profissões que exercem e a posição que ocupam na estrutura narrativa.

Camerina Batista Oliveira, Silvana da Silveira Leite
Gênero em textos publicitários: alternativa para leitura crítica em sala de aula

Camila Pelegrini Motta, Angela de Aguiar - UFRJ
Gravidez na adolescência e o cinema como pedagogia cultural: discursos em ciências biológicas

Camile Saldanha de Barros Bueno Romero, Anna Maurmann, Ana Paula Duarte, Johanna Von Müllen
A inserção das mulheres na Escola de Educação Física da UFRGS: visibilidades conquistadas

Carla Andresa Ferreira, Franciele Jaqueline Gregório, Luize Predebon, Vivian B. F. de Oliveira
Fragilidade, a identidade atribuída à mulher

Carlos Alexandre de Oliveira Antonio, Cristiane Cunha, Debora Sun Espindola, Luiza da Silva Campello, Rafael Andrade, Renata Seixas Machado, Verônica Santana Queiroz
Quando a parentalidade e a homossexualidade se cruzam

Carolina Souza Pedreira
Maternidade e cuidado: discursos e estratégias de existência

Carolina Vidal Ferreira
A sensualidade feminina no cinema noir

Cilene Porto Severo, Déborah Tomczyk e Cibele Romeu Peixe
Alfabetizadora: escrevendo e genereficando a corporeidade da criança

Clarisse Carvalho Leão Machado
Identidades coletivas e estratégias políticas entre mulheres trabalhadoras rurais no Estado de Minas Gerais

Cristina de Souza Prim
É preciso saber o que elas dizem

Cristine Gorski Severo
Gênero e variação lingüística

Daniel Bidia Olmedo Tejera, Tânia Mara Vieira Sampaio
Gênero, educação, física e lazer: em busca da superação da desigualdade entre as diferenças

Daniele Portella do Nascimento Rosenhein, Mariângela Perin, Greice Ribeiro Terroso
Atuação de pais e mães frente a manifestações de sexualidade de pré-escolares

Danieli de Lucca, Alejandro R. Allochi, Jacqueline Schneider, Raquel B. Bertoldo
Lidando com a violência doméstica: relato de uma experiência na delegacia da mulher de Florianópolis

Dário Fausto Santos Júnior
Ecos da ausência: crítica aos estudos de gênero na Antropologia do Sertão de Minas Gerais

Dayse de Paula Marques da Silva
Construindo o gênero na escola: uma experiência bem sucedida

Denise dos Anjos Santos, Joelma Domingues
As marcas culturais e sociais da identidade feminina

Diego Luz Moura
Fernando de Azevedo e a educação física para as mulheres: uma análise de gênero

Diomar das Graças Motta, Kilza Fernanda Moreira de Viveiros
Maria Aragão, professora, médica e militante comunista

Eduardo Ziegler Reis, Geneci G. Oliveira
Mulheres na cabine de comando: vencendo preconceitos e ocupando espaços masculinos

Eliana Maria Rosar
Relações de gênero na música popular brasileira: entre as frestas da paixão e as arestas do desamor

Elisângela Rúbia Rockenbach, Maria do Carmo Saraiva
“As meninas não sabem jogar, os meninos são violentos”. Compreendendo relações de gênero nas aulas de educação física

Elyane Rangel
Ela opera como um homem! Trajetória e percalços das mulheres na medicina

Fabiana de Aquino Martines, Samantha Cotrim Alves, Eliane Rose Maio Braga
Sexualidade e orientações sexual na adolescência

Fábio da Silva Nascimento
O significado das identidades homossexuais a partir da análise do filme Madame Satã

Fabrício Zimmermann Souza, Grasiela A. Machado
As mulheres no CEJA: a tripla jornada de trabalho

Fernanda Barbosa Miragem
Comportamento sexual em casas de prostituição: exame comparativo das cidades de Santa Maria/RS e Brasília/DF

Fernanda de Bortoli
As representações femininas na literatura paranaense

Fernanda Pivato Tussi
Aborto e vulnerabilidade feminina: noções de pessoa e suas implicações sobre a saúde da mulher

Fernanda Prince Sotero Westphal
A criminalização do aborto: uma leitura da representação da mulher nos processos judiciais de aborto da comarca de Criciúma-SC, entre os anos de 1980 a 2005, sob o enfoque da criminologia feminista

Francisco do Nascimento Couto, Fernando Pessoa de Albuquerque
Clínica dos processos de subjetivação do feminino - uma perspectiva deleuzo-guattariana

Gabriel Felipe Jacomel
Homem não entra - Feminismo e espaço cênico em tempos de ditadura militar

Gabriela Carvalho Sousa, Bruno Teixeira Barbosa, Rogério Furtado Magalhães
Representações sociais da AIDS entre universitárias e universitários

Gabriela Chaves Moraes, Juliana Frizzoni Candian
Gravidez na adolescência e o impacto no alcance ocupacional

Gisele Meriz
Entre o Brasil e os EUA: Vivências escolares e relações de gênero entre os jovens emigrantes brasileiros em Boston

Giselle Maria Nanes Correia dos Santos, Benedito Medrado Dantas, Gioconda de Souza Silva e Rhute Menezes
Reificações de homens: predomínio de práticas discursivas masculinas em um grupo heterogêneo

Gleiser Mateus Ferreira Valério
“De Chiquinha a Chanel” – As mulheres e o teatro de Maria Adelaide Amaral

Graziela C. Werba, Osmarina da Rosa
Olhos Vazios... Reflexos da violência nos desenhos da figura humana

Guilherme de Rose Santos
A personagem feminina em Leilah Assunção

Guilherme Gantois de Miranda
Organização do acervo documental de Bertha Lutz

Haspazya Beatriz Varela Ribeiro de Araújo
A violência doméstica contra a mulher: o masculino oprime, o feminino apanha

Iracema Ribeiro Roza Polli
A angústia da procriação e o imaginário social das mulheres frente à infertilidade

Irailton de Souza Lima
A leitura de mundo da criança Tikuna e o processo de ensino-aprendizagem

Irma Antonieta Gramkow Bueno
A mulher na legislação afonsina: Fuero Real e as Siete Partidas

Jaqueline da Silva Gonçalves, Jorge Sarriera, Luiza Silveira, Luciana Suárez Grzybowski, Estratégias educativas familiares e gênero: a perspectiva de pais e filhos

Joana Santangelo
A construção da identidade do gênero feminino na escola do romantismo no Brasil

Joanalira Corpes Magalhães, Liani Jorge Machado
Para começo de conversa: ficar, namorar, transar, amor, prazer, desejo, responsabilidade, sexo seguro...

Joelma Domingues, Denise dos Anjos Santos
As marcas culturais e sociais da identidade feminina

Josiane Vian Domingues, Alessandra Amaral
Body-Modification: superando as identidades de gênero

Josiete Cristina Schneider
Mulheres tramando contra a violência: A produção do conhecimento na ação simultânea do pensamento com a criação artesanal

Juciana de Oliveira Sampaio
Identidades e subversões corporais de travestis no Maranhão

Julia dos Santos Alface
Masculinidade e contemporaneidade: um levantamento midiático

Júlia Glaciela Silva Oliveira
De quem é a culpa? Estudo de gênero em processos de sedução na cidade de Londrina nas décadas de 1950 a 1960

Juliana Helena Bonat
A representação da prostituta na narrativa brasileira contemporânea

Juliana Lapa Rizza, Guiomar Freitas Soares
Contando e ouvindo histórias: narrativas de mulheres da colméia

Juliano Malinverni da Silveira
Os Mutantes em 1968 (construindo identidades de gênero)

Júlio César Mendes Fontes
O futebol no contexto escolar: estudo do processo de aprendizagem social

Julyana Vilar de França Manguinho
Gênero e profissão: o que eu vou ser quando crescer?

Kethe de Oliveira, Rita de Cássia Bosco Arrabaca, Priscila Jocham Bahiense, Mariane Montelewicz
Masculinidades e paternidades em estudos de gênero em saúde reprodutiva

Laeticia Jensen Eble
Mulher e trabalho no romance brasileiro contemporâneo

Lara Maringoni Guimarães
Florianópolis, 2005 e 2006: mulheres fazendo rock?

Larissa de Araújo Dantas
O mercado editorial brasileiro nas décadas de 70 e 90 - O espaço dedicado às escritoras

Laura Castro de Araújo
As personagens femininas das dramaturgas brasileiras contemporâneas

Leila Procópia do Nascimento, Valeska Nahas Guimarães
A escolarização da mulher e as transformações nas relações de trabalho na vila de Palmas

Leonardo Betemps Kontz
A ineficiência de políticas públicas e sociais no combate ao trabalho infantil

Liége Adamski dos Santos
Construção de gênero nos Centros de Tradição Gaúcha - CTG’s

Lorena L. do Coutto
Corpo e Magia: o corpo feminino como mediador das práticas de cura

Lorena Tabachi Amado e Pedro Henrique Delocco Alves
Discriminação contra os homossexuais: estudo sobre a constitucionalidade da RDC n°153/04

Louvani de Fátima Sebastião da Silva, Mariana Conceição de Brida
Sistema Penal e violência sexual contra a mulher: um estudo de caso sobre a vitimização feminina em Criciúma-SC

Luciane Lemos da Silva, Sheila Rubia Lindner
Casos de violência contra adolescentes atendidos no CEVIC em 2000 e 2001

Lucilene Felipe Gomes
Políticas de juventude e gênero

Luiz Rodrigues Freires Neto
O caso e o ocaso: narrativas, seus homossexuais e seus desfechos

Luize Predebon, Carla Andresa Ferreira, Maycon Jefferson Pereira
Correntes do Movimento Feminista

Maison Silva do Nascimento
Mito e discurso: o processo de produção de sentido de narrativas mitológicas nas Escolas Públicas Municipais e Estaduais de Manaus

Marcelo de Paula Pereira Perilo
As imagens da AIDS na revista Veja: uma abordagem antropológica

Marcia Felix da Silva Cortez, Grafiteiro Gino
Hip hop rompendo preconceitos

Márcia Maria Nóbrega de Oliveira
Sexualidade e corpo: uma abordagem a partir da autorepresentação das mulheres nos romances brasileiros contemporâneos

Márcia Regina Carneiro
A prática do ensino da língua portuguesa x discurso pedagógico atual frente à construção da identidade de gênero

Marco Antônio de Carvalho Ferretti
Preconceitos envolvendo mulheres que praticam lutas

Maria Carolina Iguana
Gênero em relações pessoais: empresas de Florianópolis, 2004-2006.

Maria de Fatima Filgueira, Marcia de Carvalho Fernandes e Sônia Maria de Paiva Barbosa, Programa de sensibilização em violência doméstica para profissionais da área de segurança pública do RN

Maria de Lourdes Cerezer
As representações femininas em o Tempo e o Vento

Maria Lucia Lopes de Oliveira, Mariana Bonomo, Sabrine Mantuan dos Santos, Zeidi Araujo Trindade e Lídio de Souza
Relações intergrupais: um estudo com mulheres ciganas e rurais do interior do Espírito Santo

Mariana Conceição de Brida
Violência contra a mulher e vitimização secundária: um estudo da linha argumentativa dos processos judiciais de estupro, na Comarca de Criciúma/SC

Mariana de Moura Coelho
A representação do homossexual em Caio Fernando Abreu

Marina Brito Pinheiro
Trajetórias Políticas femininas na Assembléia Legislativa de Minas Gerais

Marina Farias Rebelo
A representação das mulheres negras no romance brasileiro contemporâneo

Marina Monteiro de Queiroz Ravazzi
As faces de uma mulher assentada

Marlene Teixeira Rodrigues
Prostituição: um trabalho como outro qualquer? As estratégias das organizações de defesa dos direitos de profissionais do sexo no enfrentamento do preconceito e da discriminação

Marlon Cardoso Peruzzolo, Maria Virginia Filomena Cremasco Grassi
Masculinidade e papéis de gênero na contemporaneidade

Matteus Freitas de Oliveira
Território, prostituição e identidade: o conflito pelo poder e autonomia entre travestis e prostitutas em Feira de Santana- BA

Michele Lopes da Silva
As trajetórias políticas de mulheres negras, militantes do Movimento de Mulheres Negras de Belo Horizonte: possibilidades de pedagogias de raça e gênero ressignificadas

Milena Bushatsky Mathias
A compreensão do Movimento Feminista a partir da ótica do esporte e da ginástica na década de 1920

Nadia de Matos Barros
Relações entre gênero e “raça” na produção feminina de grafite - imagens construídas pela TPM Crew

Natalia Castelnuovo
Ciudadania, genero y participacion: las luchas por los derechos de las mujeres indigenas en el norte argentino

Natália Cristina Ihá
Jovens migrantes brasileiros: problemas e perspectivas

Nayara Lima Longo, Juliane Campos de Souza
Gênero e suas expressões nas práticas institucionais

Nereida Mazza Espírito Santo
Jovens em rede: combate à violência sexual

Odalys Medina Hernández, MSc Esperanza Díaz Díaz
Las prácticas socioculturales: masculinidad y diversidad en sistemas de relaciones. El Perché. Estudio de Casos

Palloma Cavalcanti Rezende Braga
Quando o mito lembrou do gênero - a festa da moça Tieguna

Patrícia Figueiredo Marques, Cleidiane Martins, Lorena Cardoso, Luine Coelho, Rebeca Barretto, Suelen Andrade
Uso do gênero na produção científica sobre aborto legal por estupro no Brasil

Patrícia Ignácio
Meninas adolescentes invadem a cena nos desenhos animados da TV

Paula Diniz Lins
A mulher no cinema brasileiro da retomada

Paula Rafaela da Silva
Em briga de marido e mulher o Estado Brasileiro mete a colher

Paula Souza da Cunha
Quem é o estuprador?

Peterson Rigato da Silva
Construindo um novo olhar sobre o docente na educação infantil: memórias de um profissional da educação de crianças pequenas

Ponyelen da Silva Morais
O brincar no contexto escolar: a formação da identidade da criança Tikuna numa perspectiva psico-antropológica

Priscila Schacht Cardozo, Rose Meri Nietto
“Quero ver se filho de pemba tem querer”: a identidade dos filhos de santo a partir de seus orixás de cabeça

Raquel Gislaine dos Santos Marques
Conselho Municipal da Condição Feminina do município de Toledo/PR: uma análise sobre o processo de formação, consolidação e extinção

Robson Conceição da Silva, Priscila Ferreira Perazz
Filhas de Anastácia - Trabalho de mulheres afro-descendentes na região do ABC (1950-1960)

Rosemayre Lima Bezerra
Mulheres na fronteira: narrativas e memórias das mulheres camponesas no sudeste do Pará

Rosemayre Lima Bezerra, Cristiane da Silva Lima
As estratégicas de sobrevivência das mulheres vendedoras de bandeco as margens da estrada de ferro Carajás, no município de Alto Alegre do Pindaré - MA

Rosileia Lucia Nierotka
A invisibilidade das mulheres trabalhadoras domésticas

Sandra Cristiana Kleinschmitt
A relação crime/loucura: uma análise do perfil do “louco(a)-criminoso(a)”

Sarah de Freitas Reis
A política de salto alto: repensando as “high politics” sob a perspectiva feminista das Relações Internacionais

Silvana da Silveira Leite
Gênero em textos publicitários: alternativa para leitura crítica em sala de aula

Soraia Carolina de Mello
O trabalho doméstico nas charges do jornal Nós Mulheres

Suelen Gonçalves dos Anjos
Tradições e cultura negra no Mesquita

Suely Guilherme de Souza Vieira
Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come: um estudo acerca da estigmatização em egressas de uma instituição de abrigo

Taihnee Stein Bernardes
A constituição do campo de estudos em gênero na Educação Física

Tatiana Ernandes Hubel, Paula C. Valério
Expressão da sexualidade sem limite de idade

Tatiane dos Santos Duarte
‘A senhora também merece’: impressões sobre questão de gênero a partir de um ritual de politização pentecostal

Tatiane Vendramini Parra
O desafio do profissional do Serviço Social em uma Associação de Plantadores de Cana

Thais Fernanda Leite Madeira
Da casa ao rio: um estudo sobre as relações de gênero e meio ambiente entre os pescadores do alto-médio Rio São Francisco

Tiago Pinheiro Lima Rubini, Lennita Ruggi, Ana Carolina Rubini Trovão
As facetas femininas de Pernalonga

Vagner Matias do Prado
Atividade física e gênero: escolha ou determinação?

Vanessa Bellani Lyra, Luciano Gonzaga Galvão
À meia luz

Veridiana Bertelli Ferreira de Oliveira
Um debate com Engels no livro A origem da familia, da propriedade privada e do estado

Vivian Barbosa Moretti, Margareth Victoria Kolb
Representações de um “revolucionário”

Yusra Ataya
A inclusão exclusão da mulher brasileira - muçulmana na cidade de Ponta Grossa - PR

Zirlaine Gomes de Araújo
A mulher provedora e os impactos na conjugalidade: a voz do casal