Apresentação
 
Organização
 
Programação
 
Simpósios e Pôsteres
 
Autores
 



ST48 - Preconceito de gêneros na tecnociência: desafios a partir de permanências e rupturas, seelhanças e diferenças

Coordenadoras:     Marlene Tamanini (UFPR)
                               Cristina Tavares da Costa Rocha (DICH-UFSC)

Resumo

Objetiva-se propiciar um espaço de discussão e reflexões para problematizar dois eixos centrais de investigação, definidores de aspectos importantes nas interações da vida social: o primeiro refere-se a gêneros, enquanto relações sociais construídas culturalmente. O segundo, aos segmentos da tecnociência e decorrentes produtos, processos e serviços carregados de simbologias, significações e ideologias. Prioriza-se uma perspectiva sociotécnica que contemple abordagem interdisciplinar. Para atingir este objetivo, incentivam-se trabalhos que visibilizem e explorem as diversidades e as riquezas advindas das experiências humanas, com foco em gêneros e tecnociência –mediadora das atividades nas mais variadas tecnoesferas da vida– na problematização da natureza/cultura, e suas dimensões políticas e econômicas, e imbricações com poder. Considera-se importante dar audibilidade à sinfonia polifônica e à polissemia de interpretações nos contextos onde estas experiências ocorrem. Enfim, parte-se da constatação de que gêneros devem ser inseridos nos atuais cenários do progresso técnico advindo da globalização – sendo a tecnociência um de seus ícones – . Progresso este considerado ainda hegemônico, androcêntrico e marcado por preconceitos, discriminações e exclusão social, visto que ciência, tecnologia e respectivas instrumentalidades, continuam sendo atribuídas ao domínio masculino. Visando ao exercício pleno da cidadania de mulheres e homens enquanto atoras/es nos cenários contemporâneos da tecnociência, essa inserção dos gêneros é condição “sine-qua-non” na conquista de maior eqüidade entre ambos.


Trabalhos

Adriana Causa - UBA
Las nuevas redes de mujeres migrantes a partir de la apropiación de las tecnologías de información y comunicación
El presente trabajo indaga sobre la trama de relaciones que se han generado entre las mujeres migrantes de países limítrofes con Argentina y las tecnologías de información y comunicación social –Tics- principalmente Internet. ' La incorporación de los flujos migratorios al espacio de los flujos nos permite reconstruir las trayectorias migratorias de mujeres desde un marco poco tradicional en relación al abordaje de los estudios migratorios. La metodología utilizada fue exploratoria. Para alcanzar los objetivos se realizaron entrevistas semiestructuradas a mujeres migrantes de organizaciones de migrantes de países limítrofes con Argentina.
PDF

Cristina Tavares da Costa Rocha - UFSC
Gênero em contextos laboratoriais da tecnociência
Este texto explicita situações encontradas em contextos laboratoriais contemporâneos da tecnociência, analisadas sob inspiração de teóricas feministas pós-modernas, além de Bruno Latour. Parte-se do postulado de que as mulheres têm adentrado esses locais de trabalho, e aí exercido atividades. Recorre-se à metodologia qualitativa, com opção pela observação de campo, e por entrevistas semi-estruturadas feitas a profissionais no Sul e Sudeste do país que trabalham nesses contextos. Os resultados, parciais, mostram ambigüidades no que se refere à valorização do trabalho de algumas mulheres, mas, também, situações de permanências relativas aos preconceitos e discriminações remanescentes do entendimento de que estes espaços e determinadas funções são hegemonicamente do âmbito masculino.
PDF

Kátia Maria Straube - UFPR
"Felizes para sempre..." A experiência da família após as novas tecnologias reprodutivas
Este estudo visa focalizar a articulação entre as Novas Tecnologias Conceptivas (NTRc), particularmente as Técnicas de Reprodução Assistida (TRA), e os estudos da família, mais especificamente, das representações dos pais que se submeteram às tecnologias e dos filhos por elas concebidos. No mundo moderno, ter filhos passou a ser central na vida familiar, significa uma extensão para o futuro, corroborando a idéia da reprodução como norma cultural expressa por uma pressão social que ultrapassa sexo, idade, raça, religião, etnia e classe social e justifica a busca de realização do desejo de filho a qualquer preço. A família contemporânea marcada pela tensão entre individualismo e pertencimento ao coletivo familiar, ao se submeter às NTRc, agrega novos desafios ao seu cotidiano, seja reafirmando ou transformando papéis e funções, seja reconfigurando relações de gênero variadas e assimétricas no seu interior. Estas experiências pós-processo, originadas nas práticas e comportamentos cotidianos, são raras no âmbito das pesquisas disponíveis, pois contam com a dificuldade de localizar pessoas que queiram falar sobre o depois. Deixam, assim, uma lacuna aos que pretendem aderir às novas tecnologias reprodutivas e à própria pesquisa científica, principalmente no campo das Ciências Sociais, diferente do que ocorre no contexto médico.
PDF

Laurence Tain - Université Lumière Lyon
Le genre à l’épreuve des techniques de reproduction: des évidences aux turbulences
L’objet de cette contribution est de s’interroger sur la dynamique de genre que l’on peut observer à partir de la mise en œuvre des techniques de reproduction. On partira d’une double impression, d’une part, d’une sorte d’inéluctabilité du progrès technique, d’autre part, d’une sorte de trouble devant cet « avant-monde ». Le point de vue adopté ici est que cette évidence et cette ambiguïté sont l’un des effets d’une configuration de pouvoir où, selon l’interprétation de Foucault, se croisent une multiplicité de lignes de force mais aussi de résistance. La méthode s’inscrit dans le courant de la construction sociale des sciences et des techniques. On cherchera donc à identifier les réseaux socio-techniques qui ont permis l’expansion de la fécondation in vitro à partir de l’histoire de cette technique et de l’observation de sa mise en œuvre dans un hôpital français grâce à l’analyse d’un millier de dossiers médicaux. On mettra alors en évidence les rapports de pouvoir qui contribuent à faire passer pour « naturels » le recours et le processus de sélection à cette technologie reproductive. On montrera que le pouvoir médical et la domination masculine sont au cœur de ce dispositif. Néanmoins, des turbulences surgissent dans ce dessin d’autorité qui constituent des défis à la permanence de la domination. On cherchera, pour conclure, à apprécier l’avenir de ces résistances. On illustrera ce point de vue avec des pratique liées au don de gamètes, qui mettent en scène différentes configurations : un conflit interne au monde médical ou des contestations de femmes et de médecins ou encore des mobilisations collectives.
PDF

Luciana Soares de Medeiros - UFSC
Reflexões sobre o acesso ao serviço de reprodução humana assistida pelo SUS
a realização deste trabalho teve como base a crescente importância das discussões a respeito da regulamentação das tecnologias disponibilizadas para a saúde reprodutiva da população e o contexto atual de inserção dos serviços de Reprodução Humana Assistida no SUS (Sistema Único de Saúde). Objetiva perceber quais os elementos colocados nas legislações em vigência e nos projetos de lei específicos para regulamentar o serviço de Reprodução Humana Assistida através do SUS e analisar os critérios definidos para viabilização do acesso ao mesmo. Trata-se de um estudo descritivo utilizando como técnica a pesquisa documental para coleta do material a ser analisado. Através de arquivos oficiais do Governo do Brasil (publicações impressas e via Internet) foram selecionadas as legislações vigentes que se reportam ao serviço de Reprodução Humana Assistida e seu acesso por meio do SUS, assim como os projetos de lei específicos. Após a seleção do material, caracterizou-se os elementos que fundamentam os critérios do acesso ao serviço, para em seguida ser feita a análise hermenêutico-dialética dos mesmos. A análise é fundamentada teoricamente nas discussões da Bioética Cotidiana sobre Eqüidade . A discussão dos resultados mostra que embora o conceito de Família em nossa sociedade já venha sendo reformulado há alguns anos, a legislação e os projetos de lei que se remetem ao acesso ao serviço de Reprodução Humana Assistida pelo SUS não comportam as diversas possibilidades de configuração das novas famílias contemporâneas. O acesso ao serviço é direcionado aos casais heterossexuais, e apenas em casos de infertilidade dos mesmos ou diante da possibilidade de transmissão vertical de doenças. As restrições existentes na legislação e nos projetos de lei colocam em suspenso os direitos de escolha dos cidadãos e tornam o acesso ao serviço distante dos ideais de Universalidade e Eqüidade que formam as bases doutrinárias do SUS.
PDF

Magaly Pazello - DAWN Brasil
Igualdade de gênero e sociedade da informação
A expansão das novas tecnologias de informação e comunicação-TICs, em todas as esferas da vida, criou novas formas de empregabilidade, dinamizou as comunicações, transformou dispositivos tecnológicos em componentes da vida cotidiana. Porém, as mulheres enfrentam ainda numerosos preconceitos que obstaculizam sua participação no campo da tecnología. O engajamento político das mulheres e feministas exije ir além da luta pelo acesso às TICs e seu emprego. Este trabalho enfoca as negociações da Cúpula Mundial sobre a Sociedade da Informação-CMSI. A análise se apóia na experiência de advocacy pela inclusão da dimensão de gênero no processo da CMSI, seus obstáculos e desafios. Esta é a primeira vez que o debate sobre TICs (processos, produtos, acesso) é realizado no âmbito da governança global (ONU), o que implica, de certo modo, numa reconfiguração de cenários da tecnociência.
PDF

Maria Claudia Crespo Brauner, Paula Pinhal de Carlos, Taysa Schiocchet
A necessária interface entre gênero e bioética e direitos humanos: o empoderamento das mulheres frenta às novas biotecnologias
PDF

Marlene Tamanini - UFPR
Quando as tecnologias colocam problemas que elas não resolvem
Esta contribuição apresenta a configuração histórica e sociológica do campo das novas tecnologias conceptivas em relação a utilização de critérios de um contexto de mercado e da racionalidade e objetividade científica e tecnológica. As diferentes mediações utilizadas por casais e por médicos para acessar essas tecnologias dizem respeito a um determinado modelo de intervenção de ordem institucional e de ordem relacional voltado ao desenvolvimento de procedimentos dirigidos aos corpos das mulheres para que se reproduzam, e revelam dinâmicas de gênero, ético e argumentativas diferentes, sobre a quem cabe fabricar humanos e de que tipo. Porém, a argumentação sancionadora da prática foi se modificando e exigiu cuidados da ordem da linguagem que configuraram certas dinâmicas de gênero que também foram se modificando à medida que as demandas por tecnologias se modificavam e o quadro referencial de elegibilidade heterossexual era questionado.
PDF

Silvia Mara Veronese - UFPR
Historicidade, educação tecnológica e políticas públicas educacionais na década de 90: contradições de uma realidade feminina
A revisão histórica proposta pelos atuais estudos de gênero feminino denotam a intenção de compreender este conceito como construção social e reflexa do meio. Na medida em que as mulheres têm ocupado as salas de aula e o mercado de trabalho, inseridas em um contexto sócio-educacional paradigmático masculino, permitem a presente pesquisa um detalhado estudo de sua atuação, enquanto profissionais a partir da formação superior na área tecnológica aeronáutica. Pesquisar este processo implica em entender como são constituídas as capilaridades do poder nas relações sociais da aviação civil. Ainda, proporciona responder a questão foucaultiana – “como é que nos tornamos o que somos hoje”, desconstruindo valores e entendendo a movimentação do poder naturalizado e institucionalizado pelo discurso, dentro das relações sociais da tecnologia da aviação.
PDF